quando a grande mídia cala

13dez11

a esta altura do campeonato você já deve estar sabendo do rebuliço envolvendo o livro “a privataria tucana”, né? mas o que mais chama a atenção é como a grande mídia vem ignorando totalmente o assunto e, consequentemente, cavando a própria cova cada vez mais fundo. abaixo alguns textos importantes sobre o assunto.

do observatório da imprensa:

Confirmado seu conteúdo, o livro representa o epitáfio na carreira política do ex-governador José Serra e um desafio para o futuro de seus aliados até agora incondicionais na chamada grande imprensa.

Os sites dos principais jornais do país praticamente ignoraram o assunto. Mas portais importantes como o Terra Magazine entrevistaram o autor. O tema é capa da revista Carta Capital, e não há como os jornais considerados de circulação nacional deixarem a história na gaveta. Mesmo que seus editores demonstrem eventuais falhas na apuração de Amaury Ribeiro Jr., o fenômeno da mobilização nas redes sociais exige um posicionamento das principais redações.

Se a carreira de Serra parece ter se chocado contra o iceberg do jornalismo investigativo, a imprensa precisa correr imediatamente para um bote salva-vidas. Ou vai afundar junto com ele.

de luiz fernando emediato, dono da geração editorial, que publicou o livro:

Acho que esse silêncio será rompido em breve. As redes sociais, os blogues e portais independentes deram ampla divulgação ao livro. Não se trata de um dossiê, mas de jornalismo investigativo sério. Tenho amigos do PSDB, que são amigos de José Serra. Devem estar decepcionados. Paciência. Quando foram revelados os crimes de Stalin, também houve muita decepção. É uma verdade incômoda, que enche de nódoa um político sério e um economista competente, como o Serra. Mas esta é uma situação constrangedora. Na verdade, ele não tem um envolvimento direto com os crimes, pois se trata disso, de crimes! É sempre a filha, o genro, um assessor, ou um companheiro de partido… Resta a ele vir a público dizer que não sabia de nada. Mas falar que não sabia das movimentações milionárias da filha é algo difícil de acreditar…

para venício artur de lima, professor aposentado de ciência política e comunicação da UnB (Universidade de Brasília), é a comprovação definitiva de que “a imprensa no brasil é partidária e ocupa o papel dos partidos de oposição”.

– não só comprova isso, como comprova que ela só ocupa esse papel quando é oposição ao governo. Quando diz respeito a um fenômeno que envolve uma figura como a do (José) Serra, ex-governador de São Paulo, ex-candidato a presidente da República, a mídia, simplesmente, omite. Então, acho que essa omissão escancara uma questão de partidarização, de moralidade seletiva que só será ignorada por aqueles que consomem determinado tipo de mídia porque pensam da mesma forma.

a moralidade da mídia é seletiva. Revela quando interessa e omite quando não interessa à posição político-partidária que assume. Isso é claro como a luz do dia.

comentário de bob fernandes, editor do terra magazine, na tv gazeta:

Se murmura que faltaria credibilidade a Amaury Ribeiro. Isso por ele ter sido indiciado pela Polícia Federal. Há um ano, sob acusação de espionar Serra e sua família.

Perguntas: alguém invocou credibilidade do Sombra, aquele que recebia e pagava e levou à queda do governador Arruda? E quando Roberto Jefferson denunciou o chamado mensalão? Os motivos que o levaram à denúncia, a sua carreira até então, silenciaram o noticiário? Não. E nem deveriam silenciar.

O policial João Dias, que recebia dinheiro como confessou, há pouco levou à queda do ministro dos Esportes, Orlando Silva. O policial fez a denúncia dizendo ter um vídeo onde entregava dinheiro para o ministro ou os seus. O vídeo não existe. Mas o noticiário seguiu, fatos surgiram e o ministro caiu.

 

na minha opinião, o grande momento da internet no brasil aconteceu durante as eleições presidenciais de 2010. foi ali que ela tomou para si o papel de protagonista e mostrou (para quem ainda relutava em aceitar) que a grande mídia no brasil é sim de direita e, aqui sim o grande problema, extremamente tendenciosa.

se este ano de 2011 foi o ano das revoltas no mundo inteiro, 2012 promete ser explosivo. ainda mais se você pensar que rola eleições de novo (também nos eua).

quem viver verá.

ps: com o boato de que o serra estaria tentando tirar a obra das livrarias, já surgiu um link do livro em pdf.



One Response to “quando a grande mídia cala”

  1. 1 Fernanda

    Derrubar autoridades, no Brasil de hoje, pode ter se transformado num grande negócio. Talvez o mais rentável de todos. João Dias, que já apeou Orlando Silva, agora se volta contra o governador Agnelo Queiroz e até o ex-presidente Lula. Seu antecessor no papel de delator número 1 do Distrito Federal, o também ex-policial Durval Barbosa, já havia derrubado o ex-governador José Roberto Arruda. E também foi levado a sério sem que merecesse muito crédito. Hoje investigado por pedofilia, Durval foi durante anos um dos maiores operadores da corrupção em Brasília e conseguiu convencer a opinião pública de que Joaquim Roriz, mesmo quando governador com poderes absolutos, obedecia às ordens de Arruda, seu adversário. Uma história que só agora, aos poucos, começa a ser revista.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: