vincent moon e sua passagem pelo brasil

01mar11

não sei se você conhece o vincent moon. se não conhece, eu apenas insisto encarecidamente para que você vá atrás dele. através do projeto la blogotheque, hoje, vincent tem talvez o melhor portifólio audiovisual da internet.

criado em 2006, o la blogotheque ganhou notoriedade a partir dos take away shows, uma série de sessões musicais improvisadas, com músicos – geralmente em começo de carreira – dos mais diferentes lugares, registradas de forma peculiar e subjetiva de modo a misturar a linguagem do videoclipe com a do documentário, sempre evitando tanto uma quanto a outra.

o resultado é um trabalho lindíssimo com forte apelo estético e de um lirismo impressionante já que a maioria dos vídeos é gravada com a câmera na mão, sem roteiro e geralmente filmada em um único plano-sequência, ou seja, sem edição alguma. sem falar que a captação de áudio é simplesmente espetacular.

meus vídeos favoritos são as sessões que ele fez com o phoenix embaixo da torre eiffel, a com o beirut batucando nas latas de lixo parisienses (com direito a citação de “baby”, do caetano veloso) e a com a banda sueca i’m from barcelona invadindo as ruas de paris. uma bela porta de entrada para quem não conhece o trabalho do cara.

catapultado pelo surgimento do youtube, o trabalho de moon ganhou tanta repercussão que vários projetos-espelho surgiram ao redor do planeta, inclusive no brasil. também já lhe rendeu outros trabalhos elogiados, tais como um filme experimental com a banda mogwai e a direção de dvds do arcade fire e do r.e.m.

atualmente, vincent moon está focado no projeto petites planetes, onde busca conhecer novas culturas e filmar o que achar de interessante nelas. um trabalho artístico quase beirando o antropológico e etnográfico. para isso, vincent já esteve no camboja, egito, japão, nova zelândia, islândia e atualmente está viajando pela américa latina onde já visitou méxico, chile e argentina.

no brasil desde novembro, moon já passou por são paulo, rio de janeiro, recife e são luís e filmou com artistas dos mais variados estilos, tais como thiago pethit, tom zé, holger, carlinhos brown, banda letuce, ney matogrosso, jards macalé e thalma de freitas.

no último fim de semana ele esteve em belém do pará gravando o dvd de gaby amarantos, cantora tecnobrega também conhecida como a “beyoncé do pará”. ontem, por exemplo, ele tuitou que estava filmando num terreiro de umbanda. hoje ele já está no suriname. vai vendo.

notei pouca repercussão da passagem dele por aqui. no entanto, dia desses acabei trombando com essa entrevista que ele deu ao saraiva conteúdo onde ele fala um pouco sobre o seu processo de trabalho e sua passagem pelo brasil. o vídeo da entrevista também é bem esclarecedor. se liga.

achei legal ver a percepção que ele tem das diferenças entre rio e são paulo e como surgiu a opção estética de seus vídeos (a grande sacada do seu portifólio) nos take away shows.

“(…) quando eu comecei a trabalhar com imagens em movimento eu estava pensando na linguagem do cinema que eu amava tanto. era uma busca para continuar aquilo e havia a tela da tv, que eu odiava, e queria lutar contra isso. e então havia uma nova tela, a internet. (…) eu queria propor uma linguagem que se adaptasse a essa tela (…)”.

está aí a chave do sucesso de programas como o do jools holland, por exemplo. quando você assiste ao tratamento de luz e som que as bandas recebem no programa dele você tem a sensação de realmente estar vendo um show ao vivo. a diferença para programas como o do serginho groisman (para ficar num exemplo próximo que segue a mesma idéia do programa do jools) você tem certeza que está apenas assistindo televisão, entende?

acabei encontrando essa outra entrevista que ele deu durante sua passagem por barcelona. aqui ele explica seu processo de trabalho e sua relação com a internet e novas tecnologias (inclusive com câmeras “muito modernas”). ferrenho defensor do creative commons, ele também dá uma pincelada na importância da gratuidade no conteúdo que produz. excelente.

*** fuçando no site do vincent, no youtube e no vimeo ainda não achei nenhum vídeo dessa leva com os artistas brasileiros, apenas algumas fotos aqui. se alguém souber onde tem isso (se é que ele já liberou na internet), por favor, avise pois postarei aqui sem titubear.



One Response to “vincent moon e sua passagem pelo brasil”


  1. 1 tom zé sob a ótica de vincent moon « let it blog

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: