paul mccartney: o evento

23nov10

grandes eventos sempre exigem atenção extra e planejamento de várias partes, desde o público até os membros da organização. exigem também um grande exercicío de paciência e compreensão com o próximo. talvez isso seja o mais interessante nesses momentos.

o mais legal de show em estádio é o clima é de torcida, de final de campeonato. no caminho para o estádio a galera já vai cantando e balançando bandeiras e camisetas. o problema é que grandes eventos numa cidade como são paulo é sempre problema. isso porque a cidade está sufocada por carros e o transporte público é quase irrelevante nessa equação entre estrutura/demanda de passageiros. o planejamento para o show do ex-beatle (existe isso?) paul mccartney até que foi bem feito se comparado com alguns festivais de música que acontecem na cidade e enfrentam todos os anos os mesmos problemas de sempre. alguns deles até de simples solução.

como o trânsito de são paulo já é caótico para quem mora lá imagine o que acontece quando vários ônibus fretados vindos de todos os cantos do país rumam para um mesmo lugar. o que me espanta é que o brasil vai sediar copa do mundo e olimpíadas nos próximos anos e ainda nada foi feito para viabilizar estes eventos (e olha que a copa do mundo foi anunciada há quase quatro anos). a rede hoteleira ainda é pouca, aeroportos são precários e o transporte público é ineficiente.

o morumbi, um dos melhores estádios do país, foi simplesmente limado da copa (sim, a escolha do estádio do corinthians é política, admita) e dúvido que os novos estádios tenham a mesma estrutura que ele. que fique claro que o morumbi é bom, mas está muuuuuito longe do ideal. na saída do show, por exemplo, a solução encontrada pela cet e pela polícia militar foi inverter o sentido de algumas avenidas e bloquear o trânsito em outras para amenizar o escoamento do público. o resultado foi uma boiada caminhando quase dois quilômetros feito zumbi no meio da avenida para chegar aos bolsões de ônibus. muita gente também reclamou da falta de táxis e de seus preços absurdos até por corridas curtas.

dentro do estádio o que mais me chamou a atenção foram as caravanas vindas de todo o país e de fora (vi bandeiras do chile e do paraguai por lá). e muitas camisas de futebol. o brasileirão realmente está bombando e o que mais se via era gente com radinho de pilha e celulares com tv acompanhando os jogos do seu time. uma galera de minas (mulheres em sua maioria) veio toda uniformizada com a camisa do atlético mineiro e torceu aflita contra o rebaixamento do time. também tinha gente com camisas do fluminense, do ceará (!), do asa de arapiraca (!!) e até do liverpool (isso porque o paul torce para o everton, eterno rival do liverpool).

a única coisa em comum entre as torcidas: todas estavam secando o corinthians. TODAS.

grupinho de bambis trollando o jogo do corinthians

outra coisa absurda que insiste em acontecer em grandes eventos no brasil é a presença da famigerada área vip. para variar, desta vez ela era gigantesca. para você ter uma idéia, o palco estava localizado mais ou menos em cima da linha de um dos gols. e a pista premium ia até um pouquinho depois da intermediária, quase até o meio do campo. se bem me lembro, durante a venda pela internet, a pista vip esgostou em menos de 15 minutos. eu fiquei posicionado bem na divisa entre a pista comum e a premium, a três pessoas de distância da grade. e era vísivel os espaços vazios na pista vip. me arrisco dizer que se cada pessoa da pista vip resolvesse assistir o show deitada no gramado, ainda sobrava espaço. se esgotou mesmo, muita gente não foi ao show. ou então venderam ingressos para meia dúzia de pessoas onde, jogando por baixo, caberia o dobro de gente. isso é um absurdo e precisa acabar de vez.

ainda rolava um boato no estádio que um certo número de ingressos (custando R$1500) foi vendida para um seleto grupo de empresários assistirem à passagem de som do ex-beatle onde ele só toca músicas que não fazem parte da turnê. não duvido nada, pois na saída do estádio ainda presenciei um ridículo corredor humano formado por pessoas uniformizadas segurando uma plaquinha com os dizeres: “saída preferencial bradesco prime”. onde apenas se viam senhores de meia idade (provavelmente banqueiros) saindo de braços dados com moças com um terço de suas idades. sem nem dirigir o olhar para o povão, lógico.

mais cenas bizarras/engraçadas do evento:

* várias pessoas com cartazes mostrando suas respectivas arrobas no twitter para as câmeras da globo. é o novo “filma eu, galvão”.

* beto bruno, vocalista da cachorro grande, retirando seu ingresso na bilheteria e sendo zoado pela galera: “olha lá, não é aquele cara da banda cover dos beatles?”. ahaha.

* caravana de florianópolis, sendo aplaudida pela galera. só beldades.

* arquibancadas fazendo ola e comemorando gols do brasileirão em tempo real.

* maurren maggi (acho que era ela) aparecendo no telão sobre os ombros de alguém e com os faróis acesos, se é que você me entende.

foi um dia legal.



3 Responses to “paul mccartney: o evento”

  1. 1 Fabio Navarro

    O problema maior que ninguém consegue resolver e talvez nem vá, é a questão do cambista. Quando fui no dia de vendas dos ingressos para o primeiro show, já existiam vendedores com ingresso na mão, por preços quase absurdos.

    Depois aconteceu algo nesse show interessante, muita gente nos dois dias (que não eram cambistas), vendendo ingressos que simplesmente sobraram. A pessoa comprou pela internet e acabou ou não usando ou tentando ser um mini cambista amador. Imagino que tenham sobrados vários assim.

    No domingo na praça em frente ao Morumbi, pelo menos umas quatro pessoas estavam munidas de uma quantidade de ingressos sobrando. Eu fui no show domingo, por causa de um desses ingressos que sobraram na mão de populares.

    Outra coisa que ninguém falou, mais muitos dos ingressos que são vendidos no Morumbi, são colocados à disposição dos donos de numeradas do estádio. E uma quantidade ainda maior, são dados de presente pelas empresas como o Bradesco que patrocinam o evento.

    Na coletiva de imprensa, a produção passou uma informação e aconteceu outra completamente diferente. A venda pela internet foi tumultuada e no Pacaembú muito mais. A saída preferencial Bradesco (que eu vi também na saída) tem muito de relação com isso. Eu sei disso pois estava na coletiva, tenho o release dado pela produção.

    Não adianta na coletiva de imprensa dizer que o espetáculo é para o povo brasileiro, na verdade ainda vivemos um tempo onde cultura é para quem tem mais grana, pois a transmissão do show na íntegra foi feita por um canal da televisão por assinatura que é do pacote de serviços HD, ou seja, você tem que ter muita grana para poder pagar o conforto.

    E me diz uma coisa, se alguma televisão aberta tem o rabo menos preso com as empresas e transmitisse o show para o Brasil inteiro ganharia uma baita grana em espaço publicitário. Aí sim seria Paul McCartney para no Brasil, não apenas para quem pode pagar.

    O show foi o melhor que eu já vi na vida, mas se foi assim com Paul, imagina na Copa do Mundo???

    • 2 Cadu

      já eu posso relatar uma experiência diferente da sua. porque o que eu mais vi foi cambista pedindo ingresso pra comprar. um carinha lá estava desesperado procurando ingressos e os próprios cambistas não tinham pra vender (isso por volta de 18h30). acho que muita gente comprou e acabou não indo no show. ou comprou pra mais mesmo. fui retirar meu ingresso na bilheteria no dia do show e os próprios seguranças do evento ficaram me xavecando por um ingresso.

      pela internet consegui comprar dois ingressos mas tive que abrir mão de um deles. meu medo era ter que retirar os dois e tentar bancar o cambista na porta do estádio pra não ficar no prejuízo. mas não tenho o que reclamar da ingresso.com pois consegui comprar ambos sem complicação nenhuma e fui muito bem atendido quando solicitei o cancelamento da compra do ingresso excedente. acho que muita gente morreu com ticket na mão por preguiça de cancelar a compra no site com medo de dor de cabeça.

      acho que os buracos na pista vip aconteceram pq muitos ingressos foram dados como brindes (tipo o caso do bradesco que vc citou) e em promoções. na sexta e no sábado tinha até floricultura sorteando ingressos no twitter. e todo mundo achando lindo.

      última coisa: independente de ser o paul mccartney e da grana publicitária (que depende da audiência) a globo jamais deixaria de transmitir o fantástico para transmitir qualquer show. o compacto do domingo ficou em segundo lugar na audiência perdendo para A Fazenda. ou seja, a globo perderia dinheiro se transmitisse o show inteiro.

  2. até que enfim um blog que falou algo além de “o show foi lindo etc”…

    eu acrescentaria mais coisas, como por exemplo o publico bizarro que faz coro com palminhas até em uma música introspectiva como Here Today. farei um post lá no blog sobre isso quando tiver tempo…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: